Vendas de consórcios crescem 20%

DUCON | Consórcios | Administradoras de confiança

Vendas de consórcios crescem 20%

Até setembro de 2017, o Sistema de Consórcios acumulou a comercialização de mais de 1,74 milhões de cotas em todo o país. Embora na média nacional a alta tenha sido de 9%, esse indicador chegou a 20,7% em Santa Catarina. Conheça as unidades federativas que mais se destacaram nas vendas de consórcios.

No acumulado dos nove primeiros meses de 2017, houve crescimento de vendas em 21 das 27 unidades da federação. Apenas no Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Piauí e Tocantins as cotas comercializadas de janeiro a setembro de 2017 não superaram o total comercializado no mesmo período de 2016. Os dados são compilados pela assessoria econômica da ABAC e divulgados trimestralmente.

Além de Santa Catarina, os estados que mais se destacaram no crescimento de vendas de consórcio foram Minas Gerais, Goiás e Espírito Santo. Nesses locais, as altas foram de 17,6%, 17,3% e 15,6%, respectivamente. Em números absolutos, os estados que mais comercializaram foram São Paulo, com a venda de 391.224 cotas, Minas Gerais, com 163.839 comercializadas, e Bahia, onde foram vendidas 120.471 cotas de consórcios.

 

Confira os estados que mais se destacaram na venda de consórcios, por segmento:

Consórcio de veículos leves – as 827.100 cotas vendidas no acumulado até setembro, superaram em 14,7% o registrado no mesmo período de 2016. Proporcionalmente, as maiores expansões foram alcançadas em Alagoas (34,3%), Piauí (27,1%) e Maranhão (25,5%). Das 27 unidades da federação, apenas o Distrito Federal e Roraima registraram quedas, de 2,2% e 7,6%, respectivamente. Em números absolutos, os estados que mais se destacaram nas vendas de consórcio foram São Paulo (229.357), Minas Gerais (89.815) e Bahia (59.360).


Consórcio de veículos pesados – esse segmento vem mostrando forte recuperação nas vendas. As 17.900 cotas comercializadas no 3º trimestre são quase o dobro do total comercializado no 1º trimestre de 2017 – 9 mil cotas. Além disso, foi a maior comercialização para um trimestre desde o início da série histórica, no 1º trimestre de 2011. No ano, o segmento acumulou a venda de 41.350 cotas – alta de 15,4%. Destaques em números absolutos para São Paulo (10.815), Paraná (4.785) e Rio Grande do Sul (4.335). Proporcionalmente, as maiores expansões foram registradas em Roraima (117,6%), Paraíba (85,7%) e Rio Grande do Norte (64,8%).


Consórcio de motocicletas – o segmento de motocicletas é o único do Sistema de Consórcios que ainda registra queda na venda de cotas. Ainda assim, os resultados tem melhorado ao longo dos meses. No 3º trimestre, as 217 mil cotas vendidas foram o melhor resultado desde o 3º trimestre de 2016. Ainda assim, no acumulado de 2017 até setembro, as 640.100 cotas comercializadas estão 3,9% do registrado no mesmo período de 2016. Divididos por estados, em 12 deles o segmento alcançou crescimento, com destaque para Roraima (19,4%), Santa Catarina (10,1%) e Sergipe (9,9%). Até setembro de 2017, os estados que mais venderam cotas do consórcio de motocicletas foram São Paulo (64.893), Pará (62.904) e Bahia (52.164).


Consórcio de imóveis – no 3º trimestre, as vendas do consórcio de imóveis alcançaram um valor recorde para um trimestre – 87 mil cotas. No ano, o segmento acumula alta de 27,3%, com a venda de 201.650 cotas. Os estados que mais concentraram as vendas desse segmento foram São Paulo (78.275), Paraná (20.429) e Rio Grande do Sul (19.509). Proporcionalmente, as maiores expansões foram registradas em Sergipe (126,4%), Rondônia (103,1%) e Espírito Santo (81,5%). Apenas Amapá, Ceará e Roraima não alcançaram crescimento nas vendas do consórcio de imóveis de janeiro a setembro de 2017.


Consórcio de eletroeletrônicos – depois de anos amargando queda nas vendas, esse segmento do consórcio vai fechar 2017 com crescimento pelo segundo ano consecutivo. No acumulado até setembro, foram vendidas 15.600 cotas. A alta é de 44,8% sob o comercializado no mesmo período de 2016. Entretanto, vale destacar que o montante já supera todo o total comercializado em 2016, quando o segmento acumulou a venda de 15.075 cotas. Contribuíram para esse resultado os estados de São Paulo (3.856), Rio Grande do Sul (3.490) e Paraná (1.448).  Proporcionalmente, os resultados desse segmento superaram os 400% em quatro unidades da federação: Roraima (508,8%), Rio de Janeiro (487,5%), Tocantins (450,2%) e Espírito Santo (410,4%).


Consórcio de serviços – em todas as unidades federativas, houve crescimento na venda de cotas do segmento de serviços. Assim como o segmento de eletroeletrônicos, as variações percentuais atingiram valores bem altos, sendo que em dois também superaram os 400% (Rio de Janeiro, com 565,3%, e Amapá, com 431,2%). O estado que mais comercializou cotas foi o Paraná (5.423), seguido de São Paulo (4.028) e Minas Gerais (3.046). No acumulado do ano até setembro, foram vendidas 23.700 cotas – alta de 93,5% em relação ao mesmo período de 2016. Além disso, as vendas acumuladas até o fim do 3º trimestres já superam todo o resultado de 2016, quando foram vendidas 17,2 mil cotas.


Os dados estaduais do Sistema de Consórcios serão postados aqui no Blog da ABAC. Acompanhe nos próximos posts como se comportaram os indicadores de contemplação e participantes ativos por todo o país.

SIMULADOR DE CONSÓRCIO

COMO DESEJA SIMULAR?

VALOR DESEJADO

É hora de planejar e realizar o seu sonho.

FALTA POUCO PARA VISUALIZAR.
PREENCHA OS CAMPOS .

Ao concluir, você vai visualizar os planos disponíveis que possuímos.

Carregando Planos...

INVESTIMENTO SEGURO!

Faça agora sua simulação

DÚVIDAS SOBRE O CONSÓRCIO?

Disponibilizamos algumas respotas para possíveis dúvidas referente ao sistema de consórcio.

Saiba mais >



VOCÊ SABIA?


- Com o sistema de consórcios você paga cada parcela mensalmente sem juros;
- No consórcio você escolhe as parcelas e prazos;
 Você pode utilizar o FGTS como lance ou para amortizar os valores das parcelas;
- Nossas administradoras são fiscalizadas e credenciadas ao Banco Central, o que dá mais segurança a você;
 Meia parcela até a contemplação.